Top 10 fatores de risco para doenças cardíacas

Listamos nesse artigo os 10 principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares - veja quais são:

Os fatores de risco são aquelas situações, condições que quando presentes, colocam o indivíduo a ter maior predisposição, maior risco de desenvolver, no caso em questão, doenças cardiovasculares.


Existem aqueles quais não podemos interferir e aqueles em que podemos, são os fatores imutáveis e mutáveis.


Fatores imutáveis


Não podemos tratá-los. São eles :


Hereditários: Os filhos de pessoas com doenças cardiovasculares tem uma maior propensão para desenvolverem doenças desse grupo.


Idade: Quatro entre cincos pessoas acometidas de doenças cardiovasculares estão acima dos 65 anos.


Sexo: Os homens tem maiores chances de ter um ataque cardíaco e os seus ataques ocorrem numa faixa etária menor. Mesmo depois da menopausa, quando a taxa das mulheres aumenta, ela nunca é tão elevada como a dos homens. Fatores mutáveis


São os fatores sobre os quais podemos influir, mudando, prevenindo ou tratando.

Fumo: O risco de um ataque cardíaco num fumante é duas vezes maior do que num não fumante.


Colesterol elevado: Os riscos de doença do coração aumentam na medida que os níveis de colesterol estão mais elevados no sangue. Junto a outros fatores de risco como pressão arterial elevada e fumo esse risco é ainda maior. Esse fator de risco é agravado pela idade, sexo e dieta.


Pressão arterial elevada: Para manter a pressão elevada, o coração realiza um trabalho maior, com isso vai hipertrofiando o músculo cardíaco, que se dilata e fica mais fraco com o tempo, aumentando os riscos de um ataque. A elevação da pressão também aumenta o risco de um acidente vascular cerebral, de lesão nos rins e de insuficiência cardíaca. O risco de um ataque num hipertenso aumenta várias vezes, junto com o cigarro, o diabete, a obesidade e o colesterol elevado.



Vida sedentária: A falta de atividade física é outro fator de risco para doença das coronárias. Exercícios físicos regulares, moderados a vigorosos tem um importante papel em evitar doenças cardiovasculares.


Obesidade: O excesso de peso tem uma maior probabilidade de provocar um acidente vascular cerebral ou doença cardíaca, mesmo na ausência de outros fatores de risco. A obesidade exige um maior esforço do coração além de estar relacionada com doença das coronárias, pressão arterial, colesterol elevado e diabete.


Diabetes: O diabete é um sério fator de risco para doença cardiovascular. Mesmo se o açúcar no sangue estiver sob controle, o diabete aumenta significativamente o risco de doença cardiovascular e cerebral. Dois terços das pessoas com diabete morrem das complicações cardíacas ou cerebrais provocadas. Na presença do diabete, os outros fatores de risco se tornam mais significativos e ameaçadores.


Anticoncepcionais orais: Os atuais ACOs têm pequenas doses de hormônios e os riscos de doenças cardiovasculares são praticamente nulos para a maioria das mulheres. Fumantes, hipertensas ou diabéticas não devem usar anticoncepcionais orais por aumentar em muito o risco de doenças cardiovasculares.


Existem outros fatores, em menor escala, mas que contribuem, principalmente quando associado com os fatores acima. Por exemplo, estresse, uso de álcool em excesso.



0 comentário